PE - CIRO GOMES/SEMINÁRIO/RECIFE - POLÍTICA - O ex-governador do Ceará e ex-ministro, Ciro Gomes (PDT), participa de seminário político no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), na Cidade Universitária, Zona Oeste do Recife, neste sábado (10). 10/06/2017 - Foto: CHICO PEIXOTO/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

O ex-candidato à presidência da República, Ciro Gomes disse que pastores e padres devem ser presos por descumprirem quarentena no Ceará.

Em uma entrevista pela Internet, Ciro criticou os que defendem o fim do distanciamento social e propagou números estratosféricos que podem atingir o país caso não seja feita a quarentena. Ele diz que se nada for feito “podemos chegar a 1 milhão e 40 mil mortos no Brasil”.

Em ataques ao governo federal, Ciro Gomes defende que aqueles que não cumprirem a quarentena e que fizerem manifestações públicas, como carreatas, devem ser contidos pela polícia.

“Aqui no Ceará quem fizer [carreata], e já inclusive com ordem do Ministério Público, fazendo esse tipo de exposição do povo à morte, vai para cadeia”, disse.

O político acrescentou duas funções sociais que deveriam ser presos. “Pastores, padres, ou seja quem for, felizmente não estamos precisando, só tivemos que conduzir coercitivamente para a delegacia um”, disse Ciro, não deixando claro se quem foi levado para a delegacia foi um pastor ou um padre.

“A gente tem que discutir com o nosso próprio governo [federal] coisas que são óbvias”, disse ele, estimulando aqueles que tiverem dúvida a procurar informações oficiais emitidas pela Organização Mundial de Saúde.

Segundo Ciro Gomes, “só o Brasil está na contramão”.