DF - DIA INTERNACIONAL DA MULHER/BOLSONARO - POLÕTICA - O presidente da Rep¿blica, Jair Bolsonaro, ao lado de Damares Alves, ministra da Mulher, FamÌlia e Direitos Humanos, em cerimÙnia alusiva ao Dia Internacional da Mulher, no Sal¿o Oeste do Pal·cio do Planalto, em BrasÌlia, nesta sexta-feira, 8. 08/03/2019 - Foto: DIDA SAMPAIO/ESTAD¿O CONTE¿DO

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) elogiou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e o programa lançado nesta semana para prevenção de gravidez na adolescência que promove a abstinência sexual aos jovens.

“Quando ela fala em abstinência sexual, esculhambam ela. Eu tenho uma filha de 9 anos. Você acha que eu quero ter a minha filha grávida no ano que vem? Não tem cabimento isso aí”, comentou, ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta quarta-feira (05).

O presidente justificou a redução da verba destinada a políticas para mulheres neste ano alegando que mudanças de posicionamento e comportamento são tão importantes quanto dinheiro. “A Damares está sendo 10 nesta questão. Está fazendo um trabalho bonito na Ilha de Marajó. Lá, você tem o pai que é pai e avô, ou seja, ele engravida a própria filha”.

O presidente criticou o modo como governos anteriores lidaram com a gravidez precoce. Segundo Bolsonaro, a liberdade pregada durante os governos do Partido dos Trabalhadores (PT) é uma “depravação total”